11 coisas pelas quais Portugal é famoso

Embora o futebolista Cristiano Ronaldo possa estar no topo da lista, Portugal é conhecido por uma variedade de coisas, desde a música e a gastronomia até a política.

Um dos países mais antigos da Europa, Portugal deixou a sua marca no mundo, embora muitas vezes seja colocado de lado por outros países europeus.

Atualmente com mais de 27 milhões de visitantes por ano, quase o triplo da população, parece que os turistas também começaram a reparar em tudo o que Portugal tem para oferecer. Do esporte à arte, aqui estão 11 coisas pelas quais Portugal é famoso.

1. Fado

O fado tem um lugar especial no coração de todos os portugueses. Em 2011, o fado foi declarado Patrimônio Cultural Imaterial da Unesco.

Originado em Lisboa na década de 1820, o fado é um gênero musical com melodias e letras tristes, muitas vezes sobre a classe trabalhadora e sentimentos como saudades e tristeza.

A esta melancolia contrasta o ritmo da guitarra portuguesa – só introduzida mais tarde na história do fado – que transmite vida, alegria e entusiasmo. Talvez seja este contraste que torna o fado tão especial.

Se procura descobrir a cultura do fado, o local mais indicado é o bairro Alfama, em Lisboa. Alfama é o berço do fado e da fadista mais famosa do mundo, Amália Rodrigues.

Existem ótimas opções de casas de fado neste bairro. Fado in Chiado, Clube de Fado e Parreirinha de Alfama são algumas dos estabelecimentos mais tradicionais.

2. Local de nascimento de Cristiano Ronaldo

Nascido e criado na Madeira, Cristiano Ronaldo é a pessoa mais famosa de Portugal no mundo. O futebolista é também é a pessoa mais seguida no Instagram, com 446 milhões de seguidores.

Capitão da seleção portuguesa na última copa, ao longo de sua carreira CR7 marcou mais de 800 gols. Ao lado de outras conquistas, Cristiano Ronaldo se tornou o jogador mais rápido do mundo, obtendo a marca de 32,51 km/h em um jogo contra o West Ham, quando ele ainda vestida a camiseta do Manchester United.

Se você é um admirador do jogador, pode visitar um museu que celebra a vida de Cristiano Ronaldo. Fundado em 2013, o Museu CR7 está situado na sua terra natal no Funchal, Madeira.

3. Obsessão por bacalhau

Como diz o ditado português, existem 1001 maneiras de preparar o bacalhau. O bacalhau é um tesouro natural, que está ligado à história portuguesa, desde os descobrimentos portugueses até ao fim da ditadura fascista.

Os portugueses consomem mais de 100 mil toneladas de bacalhau norueguês seco salgado, quase 10 quilos por pessoa a cada ano. Surpreendentemente, os portugueses consomem 20% do bacalhau do mundo.

O consumo de bacalhau em Portugal começou no século 14, mas depois da Revolução dos Cravos, em 1974, passou a ser importado principalmente da Noruega. Hoje, a maior parte do bacalhau em Portugal é importado da Noruega, conhecido como o Bacalhau da Noruega.

4. Casa do Vinho do Porto

O vinho do Porto é específico da região do Douro, no Norte de Portugal, e foi o que deu fama a esta região. É um vinho diferente, geralmente um vinho tinto doce, mas também pode ser seco, meio-seco e branco (e hoje, até rosé está disponível).

De acordo com a legislação da União Europeia, apenas os vinhos portugueses da região do Douro podem ser legalmente rotulados como “vinho do Porto”. Embora existam vinhos inspirados no vinho do Porto em outros países, essa medida protege a tradição do vinho em Portugal.

O vinho do Porto é geralmente servido como digestivo, após uma refeição, acompanhando sobremesa ou queijo. No entanto, o Porto Tawny, cujo nome significa ‘aloirado’, é muitas vezes servido como aperitivo, isto é, antes das refeições.

5. Mais de 300 dias de sol

Um dos países mais quentes da Europa, com temperaturas amenas durante todo o ano, Portugal tem mais de 300 dias de sol por ano. Isto faz de Portugal o país perfeito para visitar durante todo o ano! O inverno pode muitas vezes parecer primavera e as temperaturas raramente caem abaixo de 10ºC.

No entanto, tenha em mente que as temperaturas variam dependendo do local. Embora seja sempre provável que você encontre o sol brilhando, certas partes do país são mais frias, mais ventosas e mais chuvosas.

O norte de Portugal tende a ser mais frio no outono e inverno do que o resto do país, enquanto o sul é geralmente mais quente. Além disso, os arquipélagos da Madeira e dos Açores, a quilômetros de Portugal Continental, têm climas muito diferentes.

As nove ilhas dos Açores apresentam um clima subtropical oceânico e ameno, graças à sua localização no meio do oceano Atlântico. É comum chover no verão e os visitantes enfrentarem altos níveis de umidade. No verão e no outono, os Açores podem até ser afetados por tempestades e ciclones.

O arquipélago da Madeira também tem um clima imprevisível. As temperaturas variam de amenas a quentes durante todo o ano, mas as zonas do Parque Natural da Madeira registram precipitações frequentes – chuvas intensas e até neve no inverno.

6. O maior produtor de cortiça do mundo

Portugal é o maior produtor de cortiça do mundo e produz mais de 50% da oferta mundial de cortiça. A cortiça faz parte do quotidiano no país, sendo utilizada em diversos materiais como rolhas de garrafas de vinho, vestuário, calçado, mobiliário, entre outros.

Portugal também abriga as maiores florestas de sobreiros do mundo, representando 34% da área mundial de florestas de sobreiros. A família Amorim, do bilionário português Américo Amorim, fez sua fortuna multibilionária na indústria da cortiça.

Além de dinamizar a economia portuguesa, a cortiça é sustentável. No corte da cortiça, as árvores não são cortadas e a “casca” deve ser retirada a cada 9 anos, sem danificar a árvore. No entanto, é necessária uma licença do Ministério da Agricultura português para extrair cortiça.

7. O local do Milagre de Fátima

A cidade de Fátima, no distrito de Santarém, recebe milhões de peregrinos religiosos todos os anos. Abrigando o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, por que tantos católicos visitam este local?

Em 13 de maio de 1917, a Virgem Maria teria feito uma aparição para três crianças camponesas, Francisco, Jacinta e Lúcia. Reza a lenda que a mãe de Cristo terá aparecido perante as crianças durante seis meses, no dia 13 de cada mês, tendo revelado três segredos.

Os três segredos foram uma série de visões apocalípticas e profecias que a Virgem Maria revelou às crianças. Os dois primeiros segredos incluíam uma representação do inferno como um lugar onde as almas dos pecadores queimavam, uma profecia da Primeira Guerra Mundial, a eclosão da Segunda Guerra Mundial e a ascensão e queda do comunismo.

O terceiro segredo só foi divulgado em 2000 pelo papa e falava da perseguição aos cristãos no século 20, se referindo à tentativa fracassada de assassinato do papa João Paulo II em 1981.

O sexto e último milagre, o Milagre do Sol, ocorreu em 13 de outubro de 1917. Há relatos de mais de 70.000 pessoas presentes. De acordo com vários relatos de testemunhas, o céu chuvoso clareou e o solo que estava molhado pela chuva ficou seco. O sol apareceu “dançando” e “ziguezagueando” no céu entre nuvens quebradas, recebendo o nome de Milagre do Sol.

Quer acredite ou não no Milagre de Fátima, a cidade de Fátima e o Santuário de Fátima acolhem ateus e pessoas de várias religiões. A cidade tem muito para oferecer, desde a gastronomia regional a museus, e aldeias vizinhas para visitar.

8. O país dos azulejos

Os azulejos azuis do século 14 decoram as ruas, edifícios e monumentos das cidades portuguesas. Eles são tão fundamentais para a cultura portuguesa que, desde 2013, é proibido demolir prédios com fachadas cobertas de azulejos em Lisboa, uma medida de proteção ao seu patrimônio cultural.

Os azulejos não são apenas decorativos, eles costumam contar uma história e narrar os principais aspectos culturais da história portuguesa.

Tradicionalmente, o azulejo contava histórias dos navegadores portugueses e das suas viagens pelo mundo. As igrejas também usavam o azulejo para contar histórias de santos e da Via Sacra.

No entanto, os portugueses não recebem todo o crédito pelos azulejos. Embora o icônico azulejo seja português, o estilo foi fortemente influenciado pelas culturas islâmica e italiana.

Você encontrará alguns dos mais belos azulejos de Portugal no Porto, Sintra e Alentejo. O nosso local preferido é no Porto, na Estação Ferroviária de São Bento.

A estação foi construída em 1903 e está revestida com mais de 20.000 azulejos, da autoria de Jorge Colaço. A sua obra ocupa uma área superior a 550 m2 e retrata momentos importantes da história portuguesa, incluindo os Descobrimentos.

9. Grande terremoto de Lisboa

Embora Portugal não seja conhecido como um lugar onde os terremotos são comuns, como no Japão, em 1º de novembro de 1755, a capital foi atingida pelo maior desastre natural da história do país. O terremoto de Lisboa matou entre 30 mil e 60 mil pessoas, sendo considerado um dos terremotos mais mortais da história.

Os sismólogos modernos estimam que o terremoto de Lisboa teve uma magnitude de 8,5 a 9 na escala de Richter, se tornando o maior terremoto conhecido a impactar a Europa e o norte da África.

O que levou à destruição total da cidade de Lisboa não foi o terremoto em si, mas o tsunami que se seguiu. Quarenta minutos após o terremoto de Lisboa, um tsunami de 6 metros de altura atingiu a zona portuária e o centro da cidade, causando muitas mortes por afogamento.

A força do tsunami derrubou casas e igrejas iluminadas por velas, levando a grandes incêndios que duraram dias por toda a cidade e asfixiaram milhares de pessoas.

Argumenta-se que o terremoto de Lisboa levou ao desenvolvimento da sismologia. Este foi o primeiro terremoto a ser estudado cientificamente, pois afetou uma área tão grande, o que levou ao nascimento da sismologia moderna e da engenharia sísmica.

10. O primeiro país a descriminalizar todas as drogas

Portugal se tornou o primeiro país do mundo a descriminalizar todas as drogas em 1º de julho de 2001. A lei regulamentou o porte de drogas para uso pessoal, enquanto o tráfico de drogas continua sendo um crime. Todas as drogas foram descriminalizadas, incluindo drogas altamente estigmatizadas, como metanfetamina e heroína.

Hoje, Portugal tem uma das taxas de consumo de droga mais baixas da União Europeia. Patologias relacionadas a drogas, como DSTs e overdoses fatais, diminuíram drasticamente após a mudança na lei.

Antes de 2001, Portugal enfrentava uma epidemia de drogas. A heroína havia se espalhado pelas aldeias do país, afetando principalmente os jovens. É a chamada “geração perdida”. Em 1999, Portugal tinha a maior taxa de HIV entre usuários de drogas injetáveis na União Europeia.

Para resolver o problema, a epidemia de drogas foi considerada uma crise de saúde pública e o governo português concluiu que uma abordagem punitiva da toxicodependência era desumana e ineficaz.

A lei de Portugal tem sido celebrada em todo o mundo como um modelo a seguir, que reflete o direito das pessoas que sofrem de toxicodependência a terem acesso a tratamento legítimo, em vez de punição.

No entanto, tenha em mente que isso não significa que as drogas sejam legais em Portugal. Possuir uma quantidade específica de uma droga pode ser considerado tráfico de drogas e é considerado crime.

11. Antifascismo: a Revolução dos Cravos

Você já deve ter escutado a música “Grândola, Vila Morena”, uma canção antifascista de José Afonso, que havia sido proibida pela ditadura salazarista.

Esta canção tocou na madrugada do dia 25 de Abril de 1974 nas rádios de todo o país e foi a senha que desencadeou a Revolução dos Cravos.

Após 40 anos de ditadura fascista, um golpe militar pacífico liderado por militares de esquerda trouxe liberdade para o povo português e, também, para aqueles que viviam nas colônias no continente africano.

A revolução levou o país a uma transição para a democracia e ao fim da guerra colonial portuguesa na África, conhecida como Guerra do Ultramar.

A descolonização ocorreu rapidamente após a revolução e, no final de 1975, muitas ex-colônias portuguesas como Angola, Cabo Verde e Moçambique conquistaram sua independência.

Durante a ditadura, conhecida como Estado Novo, os cidadãos não tinham acesso à liberdade de expressão e eram censurados pela polícia secreta, a PIDE.

A polícia secreta do salazarismo também prendeu, torturou e matou os que se opunham ao regime, principalmente os comunistas. As mulheres não tinham direitos iguais aos dos homens e precisavam de permissão para ter uma conta bancária e viajar para o exterior.

Veja também: As 15 melhores coisas para fazer em Sintra

Veja também: O que fazer no Porto: as 17 melhores atrações da cidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *